DT – CAPÍTULO 06: Vida de Duas Mentes (Parte 3)

Tradução: Younicorn | Revisão: Hell

O tempo continuou a passar, e Yeon Woo eventualmente fez oito anos. Ele não fazia muito no jardim de infância perto de casa, mas agora ele estava velho o suficiente para pegar sua mochila e ir para a escola sozinho.

“Escute bem a sua professora. Se qualquer coisa acontecer, venha e conte pra mamãe. Quando as outras crianças implicarem com você não aguente calado, conte pra professora ou pra mamãe, ok?”

“Sim, mamãe.”

Yeon Woo respondeu obedientemente antes de sair de casa. Ele não esperava muito problema como um aluno de ensino fundamental.

‘Estudar com essas criancinhas de nariz escorrendo… Eu quero crescer logo.

Contando com o tempo passado no outro mundo, ele já tinha vivido por volta de onze anos.

Mesmo que alguém fosse uma criança do ensino fundamental, essa pessoa no máximo não seria uma criança mimada. Se comparado a explorar uma masmorra, frequentar uma nova escola não é nem um pouco emocionante como a exploração.

Alternar entre os dois mundos significava que ele iria viver duas vezes a mesma vida, e iria criar uma quantidade extensa de experiências de vida.

“Não deveria ter nenhum incidente onde alunos do fundamental lutam até a morte ou cortam fora a cabeça uns dos outros ou usam magia para queimar pessoas como no continente Marca.”

Yeon Woo era um aluno novo que já tinha passado por todo tipo de dificuldade.

Como esperado, nada demais aconteceu enquanto ele estava na escola.

Ele passou por uma cerimônia de boas vindas ordinária, conheceu colegas, que eram como ovelhas inocentes, e que eram bem mais dóceis que os de Marca.

Ele não pensou muito sobre estudar bem, mas no fim das contas ele também não era ruim nisso. Na verdade, ele estava entre os aluno médios a altos.

Tecnicamente, ele era ‘mais velho’ que os colegas de classe dele. Além do mais, ele tinha experiências de vida bem mais diversificadas, então era fácil para ele seguir aulas fundamentais.

‘Esse tanto é perfeito para pedir um aumento na minha mesada pra mãe. eu não deveria ser melhor que os meu irmão mais velho ou irmãos mais novos. Eu tenho um bom tempo ainda de estudo pela frente…’

Ele se manteve constantemente em décimo lugar na turma.

Se quisesse, ele podia ter lido os pensamentos de alguém para colar na prova e nunca ser pego, mas ele não sentiu necessidade de abusar de seus poderes assim.

“Yeon Woo! Vamos brincar!”

“Irritante.”

Enquanto algumas garotas eram amigáveis com ele…

“Isso é o máximo que você chega. Se você passar disso vai ser tudo meu.”

Tinha uma colega de mesa que o tratava bem mal.

Alunos de ensino fundamental brincavam todos juntos e de vez em quando uma briga acontecia. Mas se Yeon Woo tivesse um ‘coleguinha’ que tentasse provocá-lo, ele simplesmente se levantaria e sairia andando.

O que se tem a ganhar ao brigar com uma criança mesmo que você sinta que algumas coisas foram injustas?

“Não é como se eu fosse esfolar a cabeça e conservá-la em sal. Eu tenho que ser paciente.”

‘O eu adulto provavelmente ignoraria algo mínimo como isso.’

“Bem, eu vou ficar de olho nele um pouco mais e se ele continuar a me irritar eu vou só escolher algumas costelas pra quebrar sem matar ele.”

‘Yeon woo é um menino tão bom.’

‘Ele ainda é só uma criança, mas ele já se preocupa tanto com os outros alunos.’

Os colegas de classe e professoras pensavam bem dele.

Quando ele observava os outros alunos brincando, eles só pareciam fofos.

“Bons tempos. Eu vou só aproveitar o momento já que nunca se sabe o que vai acontecer no futuro desta longa vida.”

Então ele frequentou a escola enquanto bebia alegremente seu leite de morango.

*****

Jess também cresceu e agora tinha quatro anos.

Ele passava mais e mais tempo no continente Marca e tinha se adaptado a essa realidade brilhantemente.

Conhecimento aleatório e experiência em tumbas foi adquirido durante todas as aventuras da família dele.

“Ouvi dizer que um feiticeiro mora na área rural de Borg…”

“Não muitos sabem sobre ele, mas dizem que ele tem habilidades impressionantes.”

“Tem quem diga que ele é incomparável em Estudos da Magia também. No entanto, devo admitir que não é um rumor confiável.”

Jess ouvia Randall, Heresea e Grona conversando sobre negócios paralelos.

Infelizmente, não havia nada para crianças de plebeus brincarem.

Entretanto, embora não tivesse brinquedos, Jess podia brincar com o espírito de água que Grona invocava.

‘Pare de me assediar, seu humanozinho.’

‘Uwha, que malvado. Realmente mau!’

Espíritos de água se tornaram repugnados diante de Jess que continuava a perturbá-los.

Eles não podiam exercer muito poder independentemente e não podem desobedecer seus invocador, então eles tinham que suportar as atenções da criança.

“Também temos que checar o último esconderijo do mago, provavelmente será perto da cidade natal dele. Que ainda bem que não é tão longe daqui.”

Alguns dias depois, concluindo que seria recompensante o suficiente para ser investigado, o grupo saiu em direção a Borg.

Jess também foi na jornada por carruagem da família. Jess sempre podia ir se eles fossem de carruagem.

Ele não tinha problema com acompanhá-los em longas jornadas, pois já tinha ido várias vezes em explorações de masmorras desde que era bebê.

Sem falar com as vezes que ele estava nas costas de Grona, que podia facilmente pular as muralhas de um castelo.

“Acho que houve uma reação mágica por aqui…”

Depois de Heresea buscar por toda a montanha perto da vila do feiticeiro, ele finalmente achou a entrada escondida por uma magia de ilusão.

“Agora nós podemos acabar logo e voltar para casa.”

“Vamos logo.”

Eles acenderam a tocha e seguiram pela caverna que fora o esconderijo do mago.

A maioria dos magos normalmente pensava parecido, e muitos gostavam de porões ou cavernas naturais onde podiam fazer suas pesquisas livremente sem serem descobertos.

Estes locais preferidos comumente não eram muito perto de cidades, e geralmente eram seguros o suficiente para instalar grandes equipamentos de pesquisa. Eles gostavam de lugares quietos, e estavam mais do que preparados para lidar com alguns monstros se necessário.

É claro, saqueadores de tumbas (como eles) ou invasores com inimizades contra feiticeiros sabiam disso, então magos gostavam de esconder suas entradas com truques simples ou magias de ilusão.

Quanto mais talentoso um grupo de caçadores é, mais fácil eles conseguem identificar essas ilusões e encontrar as informações de pesquisa mágica secreta ou tesouros ou artefatos!

“Eu não vejo muitas armadilhas. Eu também não vejo muitos monstros. E não acho que seja porque essa caverna é pequena.”

“Não é possível que o feiticeiro não era tão avançado quanto pensamos?”

“Isso não é um bom sinal…”

“Talvez ele não tinha muita confiança nas próprias habilidades. Ou talvez ele não se importava se alguém o assaltasse depois que ele morresse?”

Os caçadores de tumba continuaram lentamente enquanto observavam com cuidado o interior da caverna.

Eles não se apressaram, já que tinham que desfazer com cuidado quaisquer armadilhas mágicas que encontrassem.

Um acidente sempre acontece quando se faz um trabalho às pressas.

Atualmente, Jess normalmente se sentia mais confortável estando uma masmorra do que estando em casa comendo e brincando.

Eles exploravam cavernas e túneis subterrâneos frequentemente, então ele estava acostumado a morcegos e insetos vagando por aí.

Quando focava, ele conseguia até ler a mente dos animais pequenos e insetos, mas isso dependia muito da inteligência deles.

‘Vá rápido. Em frente. Siga.’

‘Pesaaaado…’

‘Faminto. Assustado.’

‘Onde estou? Estou perdido…

E é claro tinham as típicas centopeias venenosas e ratos enormes. Os pensamentos deles eram mais complexos.

‘Eu pus uns quatro mil ovos, O território das formigas vermelhas está crescendo demais…’

‘Será que tem mais dessas migalhas de queijo? Humanos são realmente bons em fazer comidas.’

Jess passava a maior parte do tempo fora lendo pensamentos de insetos e monstros.

‘É meio chato por enquanto, mas acho que eu também vou participar como ladrão de túmulos quando eu crescer.’

Eventualmente quando ele fosse velho o suficiente para fazer o trabalho de um homem adulto ele não teria tempo para gastar, então teria que aguentar.

Às vezes, Jess era proibido de ir com eles até o fim da masmorra. Isso era porque era perigoso demais para ele se arriscar já que os monstros e armadilhas mais fortes ficavam perto do final.

Ele esperava em um local seguro após laurell por algumas proteções divinas nele.

Na maioria das vezes que eles se separavam, os pais voltavam depois de meia hora.

‘Eles estão meio atrasados hoje…’ Jess pensou enquanto comia um sanduíche.

Os sanduíches feitos por Laurell eram bem gostosos.

‘Bacon é tão delicioso~!’ Jess pensou enquanto “derrotava” lentamente o sanduíche.

Jatos de água estavam caindo de pequenos buracos na parede de onde Randall, Laurell, Grona, Heresea e Nedhandal estavam encurralados.

“Ahhh! Morrer em um lugar assim…”

“Sinto muito pessoal. Foi um grande erro relaxar mesmo que por um instante!” disse o anão Nedhandal, e por um momento ele desejou beber cerveja em um barco.

Eles eram um time habilidoso de ladrões de tumbas que normalmente conseguia evitar crises significativas, como essa, mas parece que os anos de roubo finalmente vieram para dar um troco.

Infelizmente, a magia de Heresea ainda era muito fraca para fazer qualquer tipo de magia de teletransporte para o grupo.

Água estava caindo rapidamente pelas paredes e enchendo a sala em que estavam presos. Já estava chegando no pescoço de Nedhandal.

O anão podia usar as pernas curtas para nadar por enquanto, mas se a água inundasse completamente a sala, seria o fim para todos.

“Eu estou bem, mas Jess… Jess! Oh meu bebê!”

Os olhos de Laurell derramavam lágrimas ao pensar em Jess.

Uma criança abandonada na tumba!

Mesmo que conseguisse escapar da masmorra, sem se livrar completamente da armadilha ativada, era impossível fugir.

É possível que ele morresse de fome procurando os pais na tumba.

“Meu bem! Nossa pobre criança Jess, o que vamos fazer…”

Laurell estava desolada ao pensar no querido garotinho dela morrendo de fome enquanto preso em uma masmorra procurando por eles.

Ou quando a proteção divina finalmente se dissipasse, ele se tornaria visível aos olhos dos monstros e poderia ser comido vivo!

*****

O estômago de Jess estava finalmente cheio de comer os sanduíches.

“Buuurrrp”

“É, eu reconheço o gosto maravilhoso deste sanduíche,” ele disse em voz alta com um sorriso preguiçoso no rosto.

Por um breve momento Jess focou nos pais para descobrir porque estavam demorando tanto. Após um instante, os pensamentos deles finalmente fluíram para a mente dele e ele começou a lê-los.

‘Oh meu bebê Jess! O que eu faço?! Eu vou te abandonar à mercê desta masmorra!’
‘Então, senhor guerreiro Randall. É assim que a sua vida acaba, heim… Por causa de Jess eu não posso morrer em paz.’

‘Sinto muito. Isso é tudo minha culpa. Khuchk… Se eu sobreviver eu vou parar de beber cerveja, isso eu juro pela minha honra de anão!’

“É por isso que eu tenho que ficar de olho neles.”

Quando seus pais se preocupavam com ele, Jess prestava bastante atenção neles.

“Vocês deveriam ter mais cuidado. Como podem cair numa armadilha tão óbvia! Vocês não são crianças!”

Crianças sem pais neste mundo têm dificuldade para viver e geralmente são exploradas.

Se uma pessoa não tem poder no continente Marca e não tem pais para protegê-la, ela é vendida como um escravo.

‘Vocês caíram em uma armadilha tão fácil, Parece que eu vou ter tempo suficiente para salvá-los.’

Jess leu os pensamentos do anão Nehandal e foi até eles.

Ainda bem que ele continuou pensando no erro que cometeu.

“Deve ser por aqui…”

*Ka-Utcha*

Ele identificou a alavanca escondida por entre as rochas.

Felizmente, não era uma área difícil para uma criança da idade dele alcançar, e a alavanca estava perto da base.

Jess pulou e se pendurou na alavanca de madeira, que desceu lentamente.

*Karooooong!*

Ele ouviu um som estrondoso quando o mecanismo foi ativado e a parede abriu, deixando escapar toda a água que estava se acumulando na sala selada.

Os humanos pareciam ratos pelados molhados que caíram numa armadilha.

“O que… Jess? Como você chegou aqui?”

Jess suspirou alto. As circunstâncias faziam ser difícil para ele parecer inocente.

‘Jess! Jess! Ooh meu garotinho!’

‘Aleluia! Você salvou Randall!’

‘Kuhuuck, Eu quase que não estou vivo. Quando eu sair dessa tumba eu vou beber uma boa cerveja!’