RMJI – CAPÍTULO 12: QUEBRANDO O FRASCO

Tradução: Bananinha   |   Revisão: Derow

Peng!

Han Li apertou o frasco com as mãos, e com raiva em seus olhos, usou toda a sua força para quebrá-lo na mesa.

“Se eu não posso usar a força do meu próprio corpo, então eu vou usar outros meios para abri-lo.” Han Li decidiu depois de pensar em inúmeras maneiras de abrir o frasco irritante.

Han Li descobriu que usar a força bruta e a violência não era uma solução.

Este tipo de método, embora simplista e bruto, geralmente era o mais efetivo.

Mas no momento em que ele pensou que aquele belo frasco, com seus misteriosos e intrigantes designs sendo esmagados em pedaços, Han Li podia sentir uma dor maçante em seu coração, fazendo com que ele ficasse extremamente indisposto a perder um lindo tesouro. Se houvesse outros métodos para abrir a misterioso frasco, Han Li escolheria aqueles em vez de usar a força bruta.

Se ele pedisse ajuda aos outros discípulos sêniores, eles poderiam abri-lo, mas Han Li, inconscientemente, começou a tratar o frasco misterioso como um item precioso e estava extremamente relutante em deixar outros saberem de sua existência.

O atual Han Li quase ficou louco por sua curiosidade em relação ao misterioso frasco. Embora ele soubesse que poderia ser apenas um frasco vazio, ele ainda apostava que o frasco estava protegendo algo precioso!

Cada vez mais que ele não conseguia abrir o frasco, mais sua curiosidade aumentava.

Se ele não resolvesse o mistério dentro do frasco, então ele nunca mais poderia dormir tranquilamente à noite.

Depois que ele decidiu seu curso de ação, Han Li entrou furtivamente em um galpão de ferramentas, selecionou um pequeno martelo de ferro em meio à multidão de ferramentas que se encontravam ali e trouxe o martelo de volta à sua casa.

De volta a sua casa, Han Li pegou meio tijolo de um canto em seu quarto e colocou o frasco em cima.

Han Li levantou o martelo com a mão direita e rapidamente esmagou o corpo do frasco!

Peng!

Com medo de usar muita força e acidentalmente esmagar o que estivesse dentro, Han Li usou apenas uma fração de sua força para testar a dureza do frasco.

Só depois de inspecionar o frasco e descobrir que não estava danificada, Han Li relaxou. Ele começou a aumentar a quantidade de força que ele usou em cada ataque.

Peng! 50% de força.

Peng! 70% de força.

Peng! 100% de força.

Peng! 120% de força.

Han Li fazia cada vez mais força em cada martelada. À medida que os movimentos de seus braços ficavam cada vez mais frenéticos, a velocidade dos golpes aumentava cada vez mais. Mesmo depois de ter quebrado o tijolo por baixo, o frasco ficou sem um único arranhão.

Han Li ficou embasbacado, incapaz de compreender a dureza do frasco. Usando suas mãos para sentir sua superfície, não houve vestígios de danos. Aquela superfície verde brilhante permaneceu imaculada sem nenhum sinal das furiosas tentativas de Han Li.

Isso foi completamente além das expectativas de Han Li!

Han Li estava absolutamente certo agora que este frasco era feito de um material incomum. Havia uma possibilidade de 90% de que este item fora perdido por alguém de alto status. O dono já deve ter enviado pessoas para vasculhar a montanha em busca desse objeto misterioso. Se Han Li quisesse mantê-lo, ele tinha que ter certeza de escondê-lo em um local extremamente secreto e não deixar que outros descobrissem sua existência.

Em seu coração, Han Li seguiu a filosofia de “Achado não é roubado, quem perdeu é relaxado.” Enquanto não obteve o item roubando, para Han Li, o item é dele por direito. Se fosse um item comum, Han Li poderia estar disposto a devolvê-lo ao dono, mas esse frasco misterioso? Sem chance! Olhando para o frasco, ele supôs que esse item provavelmente fora perdido por algum filho rico de uma grande família ou alguém com alto status. Infelizmente, Han Li não teve nenhuma boa impressão de pessoas de ambas as categorias.

Desde a infância, Han Li foi de uma família extremamente pobre. Apesar de trabalhar muito e viver como cães, muitas vezes eles não podiam se dar ao luxo de ter uma refeição completa. Na Seita dos Sete Mistérios, havia dois tipos de pessoas. O primeiro tipo era de pessoas que desperdiçavam seu dinheiro com luxúria decadente. Eles tratavam o dinheiro como se fosse água, gastando-o livremente e sem preocupação. Toda vez que Han Li via isso, uma sensação de raiva incômoda aumentara em seu coração. O segundo tipo de pessoa, eram aqueles que desprezavam seus discípulos, nascidos nas aldeias rurais. Muitas vezes, eles abusavam do menos afortunados com palavras cruéis e atos maliciosos. Se houvesse qualquer conflito entre eles e os aldeões, por menor que fosse o conflito, este segundo tipo geralmente se uniria e bateria nas crianças mais pobres. O próprio Han Li foi abusado. Ele foi espancado pelas crianças ricas até seu rosto inchar e ele não conseguir se levantar da cama. Han Li teve que descansar por algumas semanas para se recuperar completamente.

Quanto aos que estavam dentro da seita que possuíam dinheiro e status, Han Li também não tinha boas impressões sobre eles. Um bom exemplo era o Protetor Wang. Apesar de aceitar os subornos de seu terceiro tio, o protetor Wang não fez nada para ajudar Han Li quando ele estava fazendo o teste. Em vez disso, o protetor Wang foi tendencioso para Wu Yan. Apesar do fato de que Han Li não teve a chance de ver muitas das grandes figuras que residiam na seita, suas imagens haviam sido manchadas pelas ações do protetor Wang.

Sempre que esses dois tipos de pessoas perdiam seus pertences, Han Li não tinha intenção de devolvê-los. Ele mesmo os ferraria escondendo os itens em lugares obscuros.

Depois de pensar nisso, Han Li decidiu retirar a bolsa que sempre pendia em seu pescoço. Sua mãe costurou pessoalmente a bolsa de couro resistente à água. Dentro da bolsa estava um encanto de boa sorte feito a partir do dente de um javali. Sua mãe esperava que isso o protegesse contra perigo e doenças.

Han Li abriu a bolsa e escondeu o misterioso frasco ao lado de seu encanto de boa sorte. Ele então fechou rapidamente a bolsa e a colocou em volta de seu pescoço.

Depois de fazer isso, ele examinou os arredores, e felizmente, não havia ninguém que o visse ou o frasco misterioso.

Depois de tomar tantas precauções, Han Li se sentiu mais seguro e esqueceu todas as suas preocupações de que o dono descobriria o objeto e o tiraria dele.

Han Li trocou o martelo no galpão de ferramentas e, ocasionalmente, voltou para o Vale da Mão de Deus. Quando ele voltou para sua casa, já era noite.