SG – Capítulo 05

5


SG – Capítulo 05: Louva-a-Deus Veloz

Tradução: Pumpkin |   Revisão: Marina

Depois de fazer barulho na casa de Han Sen, Han Yumei e Han Lei deram um ultimato à família dele, eles teriam que arrumar o dinheiro ou vender a casa em um mês, caso contrário, eles apresentariam uma ação judicial.

“Eu sou tão inútil que nem consigo manter a casa.” Luo Sulan abraçou Han Yan com o rosto coberto de lágrimas.

Luo Sulan era uma dama gentil. Quando o pai de Han Sen ainda estava vivo, ela era tratada como uma princesa. Ela nem sabia como varrer o chão, muito menos fazer outras tarefas. Han Sen sabia o quão difícil era para ela cuidar dele e de sua irmã depois que seu pai faleceu.

“Não se preocupe, mãe. Eu estou aqui mesmo que o papai não esteja. Não os deixarei levar nossa casa. Você precisa descansar e eu vou consultar o Tio Zhang sobre o assunto.” Han Sen chamou um amigo de seu pai, Sr. Zhang. Ele era o advogado que costumava trabalhar na empresa da família como assessor.

“Oi, tio Zhang? Aqui é o Sen… suas costas melhoraram? Eu tenho um assunto legal no qual eu quero te perguntar sobre… então…” Han Sen ficou um pouco pálido, quando ele desligou.

Ele confirmou que seus parentes diziam a verdade. Eles têm os direitos sobre uma parte da casa. E se eles realmente fossem ao tribunal, o veredicto seria próximo do que eles pediram, pagar o dinheiro ou vender a casa.

“Sen, o que o Sr. Zhang disse?” Luo Sulan perguntou ao Han Sen, olhando para ele nervosamente.

“Não se preocupe, mãe. Eu verifiquei com o tio Zhang e existe uma solução. Certifique-se de que Yan esteja bem e eu vou cuidar disso. A casa não será levada por ninguém.” Han Sen disse com um sorriso.

“Isso é bom… Isso é ótimo…” Luo Sulan suspirou de alívio.

Ao ter descansado em casa por uma noite, Han Sen pegou um trem para a estação de teletransporte e entrou no Santuário de Deus pela manhã.

Han Sen foi teletransportado para o seu quarto no Abrigo Blindado de Aço. Quando alguém era teletransportado para o Santuário de Deus, a pessoa apareceria em certa sala apenas acessível ao proprietário. A menos que fosse permitido pelo proprietário, ninguém poderia entrar na sala.

Antes de terminar a primeira evolução e entrar no Segundo Santuário de Deus, essa era a casa de Han Sen no Santuário de Deus.

No momento, Han Sen não tinha poder ou influência. A única solução era arrumar dois milhões em um mês, se ele quisesse manter a casa.

Embora ele achasse que era injusto, sem poder, não restava nada a fazer.

Dois milhões de dólares levo era uma quantidade enorme para um jovem, que acabou de completar a educação integrada e obrigatória.

No passado, Han Sen não conseguiria ganhar dois milhões em um ano, e muito menos em um mês. Mas tudo era diferente agora. Isso mesmo, se ele ainda não tivesse cozinhado a concha do Besouro Preto de Linhagem Sagrada, a concha só valeria um ou dois milhões.

Mesmo sem a concha, ele ainda tinha o cristal preto, que poderia fazer as criaturas evoluírem. Enquanto ele tivesse isso, dois milhões não eram nada.

Ao olhar para o corpo da Besta Primitiva de Escama Verde no chão, Han Sen hesitou por um momento antes de cortar o corpo em pedaços. Em seguida, ele secou a carne, transformou em charque e levou com ele na sua bolsa de cintura.

Ele deve primeiro pegar uma criatura antes que possa usar o cristal para evoluí-la e trocar a carne da criatura evoluída por dinheiro. Agora que Han Sen possuía um terno de Armadura de Alma de Besta de linhagem sagrada, ele poderia dar o seu melhor e começar a caçar criaturas primitivas em vez de criaturas comuns.

Criaturas primitivas não valiam muito e ele desperdiçaria um dia esperando que uma criatura comum evoluísse para uma primitiva. Para conseguir dois milhões, Han Sen precisaria vender pelo menos uma criatura mutante.

As criaturas primitivas eram geralmente vistas a uma dúzia de quilômetros do Abrigo Blindado de Aço. Han Sen não tinha ousado ir tão longe antes, mas ele tinha sua armadura agora.

Desta vez, seu objetivo não era mais uma Besta de Dentes de Cobre, a mais fraca entre todas as criaturas primitivas, mas os Louva-a-deus Velozes localizados frequentemente no Vale Zéfiro.

Apesar de uma Criatura Primitiva, um Louva-a-deus Veloz tinha um corpo frágil e podia ser morto facilmente por uma adaga de metal normal, se fosse apunhalado em um ponto vulnerável. No entanto, um Louva-a-deus Veloz era tão rápido que pessoas comuns não conseguiam acompanhar. E seu par de pernas dianteiras como serras de arco que podiam cortar facilmente os ossos humanos. Uma vez que fosse atingido pelas pernas dianteiras, a pessoa seria paralisada, se não morta. Então poucos humanos caçariam essa criatura.

Para Han Sen, no entanto, o Louva-a-deus Veloz era a melhor opção. Era no final apenas uma criatura primitiva e não tinha maneira de cortar sua Armadura de Alma de Besta de linhagem sagrada. Se ele não pudesse ser ferido pelo Louva-a-deus, certamente ele poderia matá-lo.

A coisa mais importante era que, com garras e asas cortadas, um Louva-a-deus Veloz não conseguia mais lutar, mas ainda podia viver. Dessa forma, Han Sen podia facilmente levá-lo de volta, mantendo em seu quarto e usando o cristal preto para evoluí-lo para uma criatura mutante, antes de vender a sua carne.

Claro, se ele pudesse matar alguns Louva-a-deus Velozes e tivesse sorte, ele pode até ganhar uma alma de besta.

A alma de besta de um Louva-a-deus Veloz tinha a forma de uma lâmina rápida e dentada, que era uma adaga longa, um tipo de arma que Han Sen dominava.

Embora a lâmina rápida e dentada fosse apenas uma arma de alma de besta primitiva, era a mais afiada de todas as armas primitivas, e podia até se comparar com algumas armas de alma de besta mutante.

Por causa do perigo de caçar Louva-a-deus Velozes, poucos caçariam no Vale Zéfiro, e ainda menos conseguiam obter uma lâmina rápida e dentada. Se a arma rara fosse vendida, custaria mais de dois milhões. Então, se Han Sen conseguisse uma alma de besta de um Louva-a-deus Veloz, não tinha mais necessidade de vender carne de criatura mutante.

Quanto mais perto Han Sen chegava ao Vale Zéfiro, menos pessoas ele podia ver. Ao redor do vale, não tinha nenhuma atividade humana.

Han Sen não se atreveu a ir muito rápido, então ele encontrou um lugar escondido e convocou a alma de besta do Besouro Preto de linhagem sagrada para se cobrir com a armadura de ouro. Ao respirar profundamente, ele entrou furtivamente no Vale Zéfiro.

Han Sen não se atreveu a ir muito rápido. O vale estava coberto de árvores e grama silvestre tão alta quanto um homem. Como as árvores e a grama se moviam com o vento, era difícil detectar algum Louva-a-deus Veloz que podia estar escondido. Até mesmo o descuido momentâneo poderia fazer com que ossos fossem cortados por um ataque de louva-a-deus.